INSS promove capacitação para Assistentes Sociais da Lapa.

Objetivo é adequar as novas regras de políticas sociais.

Assistência Social 13/04/2017 às 10h55min

Assistentes Sociais participara de capacitação

Na tarde de terça-feira (11), a Diretoria da Politica da Assistência Social, realizou reunião de capacitação com as assistentes sociais do Município, com objetivo de adequação da política na nova gestão do Beneficio de Prestação Continuada- BPC.

A capacitação foi realizada pela equipe do INSS, pelas técnicas, Joziane de Ferreira Cirilo representante técnica do serviço social, (gerencia Técnica) e Vivian Fernandes Silva, Assistente Social do INSS.

Participaram do encontro as técnicas da Gestão do SUAS, do CREAS, CRAS Volante, CAPS, Hospital Regional São Sebastião, APAE, Bolsa Família e Cadastro Único.

Por determinação do Governo Federal, agora torna-se obrigatória a inscrição no Cadastro Único e no Cadastro de Pessoa Física (CPF) das pessoas que recebem o Benefício.

O BPC é a garantia de um salário-mínimo mensal ao idoso acima de 65 anos ou ao cidadão com deficiência física, mental, intelectual ou sensorial de longo prazo, que o impossibilite de participar de forma plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas.

A partir de agora, os usuários deverão procurar os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) para solicitar o benefício, onde será avaliada a situação socioeconômica para posterior encaminhamento da documentação ao INSS.

A Portaria é clara quando afirma que o BPC é benefício da política de assistência social e que CRAS e CREAS são os equipamentos responsáveis por identificar os usuários com direito ao benefício, garantindo-lhes o acesso.

O encontro foi extremante importante para adequação da nova resolução e como medida para fortalecer e ampliar o acesso à rede socioassistencial, no Município, como proposto pelo Governo Federal.

 

Quais os símbolos mais significativos do município da Lapa?


monumentos históricos (36.7%)
elementos da gastronomia (3.8%)
belezas naturais (57.9%)
aspectos econômicos (1.7%)